quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O 4º Dia Mundial da Bolota na Escola Secundária Quinta das Palmeiras - Covilhã

O Dia 10 de Novembro coincidiu com um sábado. Ao invés de ser um inconveniente, foi  o pretexto perfeito para que as atividades na nossa escola se realizassem durante a semana que antecedeu esse dia.

Distribuição de pacotinhos com bolotas

Para além da distribuição de pacotinhos com bolotas a alunos, funcionários e professores (distribuíram-se cerca de 400 pacotinhos), realizaram-se workshops sobre bolotas e carvalhos.
 
Workshop sobre bolotas e carvalhos
 
Os alunos participantes aprenderam a semear e germinar bolotas, os cuidados a ter com os carvalhitos e como transplantar as pequenas árvores obtidas pela germinação das sementes.
 
Construção dos pacotinhos para as bolotas

Foram ainda elaborados cartazes alusivos a esta data que ficam em exposição num dos blocos da escola e na biblioteca. Nem todos os trabalhos artísticos elaborados sobre o Dia Mundial da Bolota foram já revelados ao público…serão conhecidos na Festa da Primavera - uma forma de relembrar, nessa nova estação, que as bolotas estarão quase a espreitar.
 
 Empacotamento das bolotas
 
Mas para que se pudesse celebrar o Dia Mundial da Bolota foi necessário recolhê-las no campo. Fomos, novamente, à sua procura num dos poucos carvalhais que ainda restam ao redor da Covilhã. Posteriormente, no laboratório, foram selecionadas as melhores bolotas.

Recolha de bolotas no campo

A não esquecer: todos aqueles que receberam bolotas devem regá-las regularmente de modo a manter elevados os níveis de humidade no solo para que estas sementes não desidratem, e devem estar atentos às condições de luminosidade e temperatura onde os carvalhitos se irão desenvolver...e esperar pela primavera para que resolvam "espreitar" a sua nova casa.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

O Manual da Bolota para irmos todos "Florestar Portugal 2012"

O Manual de Bolota pretende ser uma ferramenta de auxílio para todas as pessoas que queiram realizar atividades de conservação da Natureza. Por isso mesmo, encontra-se on-line e é gratuito.

Foi com muito agrado que fomos contactados pela AMO Portugal - Associação Mãos à Obra Portugal - que nos solicitou a sua utilização e divulgação para o grande evento que irá decorrer no dia 24 de Novembro de 2012 - Vamos Todos Florestar Portugal com Flora Autóctone.



Para aderirem a esta iniciativa basta que se inscrevam como voluntários e, no dia 24 de Novembro, ponham mãos à obra para que o nosso ambiente fique um pouco melhor.

Para saber mais pormenores e atualizações deste projeto, visitem a página oficial na internet da AMO Portugal (http://www.amoportugal.org/)

Nessa mesma página poderão fazer o registo como voluntário.

Para quem reside na Covilhã, o registo como voluntário pode ser feito em: http://www.amoportugal.org/pt/local/concelho/0503

...e poderão obter mais informações em:
www.limparcovilha2012.blogspot.com
www.facebook.com/limparcovilha2012

Adiram a esta iniciativa!!!

Link para o Manual da Bolota no site da AMO Portugal:
Obrigado pela divulgação!

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Armazenamento de bolotas a curto prazo (parte 2)

Os resultados foram os seguintes:

Garrafão
n.º bolotas boas
inicial
n.º bolotas boas
final
% de perdas
A-Temperatura ambiente
464
457
1,5 %
B-Frio, aberto
490
489
0,2 %
C-Frio, fechado
500
500
0,0 %

Pare ele, as bolotas são deliciosas....

Outras observações:
Garrafão
 
A-Temperatura ambiente
-Algumas bolotas junto à abertura encontravam-se germinadas, apresentando um caulículo de cerca de 2cm;
-Foram observadas mais de 30 lagartas
- Algum líquido no fundo do garrafão
 
B-Frio, aberto
-Algumas bolotas junto à abertura apresentavam alguns sinais de germinação
-Foram observadas mais de uma duzia de lagartas
 
C-Frio, fechado
-Não se observaram bolotas com sinais de germinação
-Foram observadas seis lagartas
-Registou-se uma certa desgaseificação do garrafão ao abrir

Armazenamento de bolotas em garrafões, no frio
 
Concluindo…
- Para a conservação de bolotas a curto prazo, o melhor processo parece ser em garrafões fechados no frio. No entanto, temos algumas dúvidas sobre a eficácia deste método… apesar das bolotas ao serem colocadas em água se encontrarem todas no fundo – sinal que não estão desidratadas nem comidas pelas lagartas – não foi testada a sua viabilidade germinativa. Não sabemos se a privação de oxigénio e a acumulação de dióxido de carbono (e, eventualmente, outros gases) terá algum efeito no embrião. Enquanto não testarmos, não iremos guardar bolotas desta forma.
- A conservação no frio parece ser a mais indicada. No entanto, nem sempre se consegue disponibilizar espaço num frigorífico de modo a guardar uma grande quantidade de sementes.
- Se dispuser de uma divisão fresca, com elevada humidade e sem luz, poderá guardar bolotas durante alguns dias em garrafões, sem que isso origine perdas significativas (na nossa testagem, perderam-se 7 bolotas em 464 – uma quebra insignificante). Resumindo, este processo pode não ser o mais eficaz mas, provavelmente, será o mais prático, sem que com isso se percam muitas bolotas.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Armazenamento de bolotas a curto prazo (parte 1)

Após a recolha de bolotas no campo e a sua selecção no laboratório, queremos que estas sementes escolhidas se mantenham em boas condições.

Existem várias soluções, tal como guardá-las em areia ou em caixotes. Qualquer processo é eficaz se mantiver a humidade da bolota. No entanto, existem algumas desvantagens em cada um.
Ao conservarmos em areia vamos necessitar de um espaço físico considerável. Para além disso, antes de distribuir, precisam de uma limpeza, o que representa um trabalho acrescido.

Também utilizámos caixas de cartão. São fáceis de obter e de arrumar, mas tendem a deteriorar-se com a humidade e, pior ainda, permitem a “fuga” de lagartas que vivem dentro das bolotas e que se espalham pela nossa casa ou laboratório.
Seleção e empacotamento de bolotas para o 4º Dia Mundial da Bolota
 
Este ano testámos uma nova forma de armazenamento de bolotas a curto prazo – garrafões de água vazios.

Enchemos alguns garrafões com as bolotas selecionadas de carvalho-negral. Cada um comporta cerca de 500 bolotas. Utilizámos 3 garrafões para testagem:
- Foi colocado um garrafão aberto numa divisão fresca, com elevada humidade e sem luz (A);

- Colocou-se outro garrafão aberto no frigorífico (B);
- Outro garrafão foi colocado aberto no frigorífico, mas permaneceu fechado com a rolha (C).

Após duas semanas, as bolotas foram retiradas dos garrafões e colocadas em água de modo a averiguar o seu estado (as bolotas boas permanecem no fundo, enquanto que as más flutuam). Os resultados serão publicados no próximo post.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

O 4º Dia Mundial da Bolota na E.S. Quinta das Palmeiras - workshops

Pelo quarto ano consecutivo, o Dia Mundial da Bolota foi comemorado na nossa escola.

Ora aqui estão uma bolotas bem semeadas!

Este ano fizemos algumas inovações. Aproveitámos ideias de atividades que outras escolas desenvolveram no ano passado.

Com tanta vontade de agarrar uma bolota, era impossível a fotografia ter ficado focada!

Uma delas foi a realização de workshops sobre a sementeira das bolotas, os cuidados a ter com elas e com os futuros carvalhitos.

Choveu um pouquinho, mas uma aula ao ar livre é sempre muito melhor!

Para além de um pacotinho com bolotas, os participantes levaram também um bolotão já com uma bolota que eles próprios semearam.

Um brinde... já a pensar no 5º Dia Mundial da Bolota

Agora é só manter elevados os níveis de humidade no solo de modo a que as bolotas não desidratem, e estar atento às condições de luminosidade e temperatura onde o carvalhito se irá desenvolver...

...e esperar pela primavera para que resolva "espreitar" a sua nova casa.

sábado, 10 de novembro de 2012

Hoje é o Dia Mundial da Bolota

Celebra-se hoje o 4º Dia Mundial da Bolota.

Esta data surgiu na Escola Secundária Quinta das Palmeiras (Covilhã) em 2009 e tem como principal objectivo a união de esforços com vista à recuperação da nossa floresta autóctone.

Através da recolha de bolotas e a sua sementeira no campo, ou a sementeira em vasos para se obterem pequenos carvalhos para plantar, estaremos a contribuir ativamente para a recuperação dos nossos carvalhais autóctones.
 
Estas bolotas... já estão a celebrar o 4º Dia Mundial da Bolota
Várias escolas, instituições públicas e pessoas por iniciativa individual, a pretexto do Dia Mundial da Bolota, têm dado o seu contributo para que todos nós tenhamos um ambiente melhor. A todos, o nosso obrigado... e um excelente Dia Mundial da Bolota.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O Dia Mundial da Bolota em cartazes e t-shirts

Os alunos da turma de Multimédia do 11º ano, elaboraram na disciplina de Design, Comunicação e Audiovisuais uns cartazes alusivos ao Dia Mundial da Bolota que serão expostos na nossa escola.

Tivémos alguma dificuldade em escolher os melhores devido à qualidade que apresentavam. Ficam aqui alguns para apreciarem.










E também umas ideias para t-shirts
 



quarta-feira, 7 de novembro de 2012

O Dia Mundial da Bolota já começou

Este ano o Dia Mundial da Bolota coincide com um sábado. Ótimo! Assim já temos o pretexto perfeito para o ir comemorando durante os dias desta semana!

Aproveitámos ideias de outras escolas e já realizámos o primeiro workshop de bolotas e carvalhos.

Aqui ficam algumas imagens:
Para semear bolotas nos bolotões há que os encher com terra apropriada

Coloca-se uma bolota por bolotão, a uma profundidade entre uma a duas vezes o comprimento da bolota
Se for no campo, terá que ser a uma profundidade maior, duas a três vezes o comprimento da bolota, de modo a que estejam mais protegidas de bichos comilões

Tapa-se a bolota com terra e pressiona-se ligeiramente


Rega-se a bolota com frequência
Talvez este seja o passo mais importante pois a maioria das bolotas morre devido à desidratação



Leva-se o bolotão para casa para se cuidar da bolota. Agora é só esperar que germine e regar com frequência 

Quando tivermos carvalhos, temos que continuar a regá-los com frequência
Antes de os transplantar deve regar-se abundantemete para hidratar a raíz e ter muito cuidado ao retirá-lo do vaso 

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Seleção e termotratamento - "2 em 1"

A recolha de bolotas foi bastante generosa este ano, apesar de existirem muitas zonas de carvalhal com baixa produção. Mas lá encontrámos o sítio certo.

No entanto, nem todas as bolotas estão em condições para serem semeadas.


Grandes e gordas as bolotas de carvalho-negral

O procedimento para a sua seleção é muito simples, basta colocá-las em água que as boas bolotas permanecem no fundo.

O termotratamento consiste em colocar as bolotas cerca de 2 horas em água a 42ºC de modo a eliminar alguns bicharocos indesejados.

Mas temo-nos deparado com um problema... como manter a água a 42ºC durante duas horas?

Se utilizarmos um fogão ou uma placa elétrica, a temperatura não é uniforme no recipiente, e dificilmente se consegue uma temperatura tão baixa, mesmo no mínimo.

Pensamos ter resolvido este problema, e ainda juntámos algumas etapas...

Optámos por um procedimento "2 em 1". Simultaneamente, selecionamos as bolotas e realizamos o termotratamento. Como? Utilizando água quente, um termómetro e uma arca térmica. Eis como:


Dispositivo de seleção e termotratamento:
água quente, um termómetro e uma arca térmica

- Colocamos água quente na arca térmica;
- Colocamos as bolotas;
- Medimos a temperatura da água;
- Ajustamos a temperatura adicionando mais água quente ou fria até atingir os 42ºC;
- Tapamos a arca térmica e aguardamos 2 horas;
- Após este tempo retiramos as bolotas que se encontram a flutuar;
- Remexemos as bolotas que estão no fundo;
- Retiramos outras bolotas que ficam à superfície;
- Retiramos as bolotas da água, obtendo-se sementes selecionadas e termotratadas.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Uma grande recolha de bolotas!

Os carvalhos carregados de bolotas do ano passado, deixaram antever uma fraca colheita este ano.

Associado à seca que se tem verificado, a produção de bolotas por estas bandas não tem sido das mais férteis.

Mas a nossa persistência deu os seu frutos! Após uma longa busca, lá encontrámos uns quantos carvalhos bem atafulhados de sementes (curiosamente, voltámos ao "sítio do costume").

Ao contrário das últimas incursões, o tempo esteve de meter inveja. Com o avançar do outono, sair para o campo num dia sem chuva e sem vento é um verdadeiro "jackpot"

Talvez por isso mesmo, ou porque já somos experientes coletores, a safra foi muito generosa.

Ainda bem que desta vez tivemos direito a transporte - apenas de volta, senão nem dava para espevitar as pernas -  que levou as muitas bolotas e os coletores, ansiosos com o teste de Biologia de sexta-feira, confortavelmente de regresso à escola.

Recolha de bolotas no carvalhal do costume, próximo do antigo aeródromo da Covilhã

Recolher bolotas - uma tarefa já "rotineira"

"Facebook"?

Enquanto uns trabalham... outros apanham bolotas!

Coletores de várias idades (e de várias escolas)

Desta vez libertámos mais CO2, mas foi por uma boa causa.
 
Próximas etapas - selecionar as bolotas e empacotá-las para podermos comemorar o 4º Dia Mundial da Bolota - 10 de Novembro

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Já começámos a preparar o 4º Dia Mundial da Bolota

O 4º Dia Mundial da Bolota está quase aí. Ainda não iniciámos a recolha das bolotas. Isso será feito na próxima semana, quando as bolotas estiverem "madurinhas".
 


Mas as bolotas precisam de terra. Por isso começámos a preparar vasos para as semear.
 
 Quem nos segue regularmente sabe que nos outros anos temos utilizado os bolotões (reutilizamos garrafas de plástico e transformamo-las em mini-estufas).
 

Este ano não será diferente. Mas como uma aluna da escola nos ofereceu tantos vasos de plástico vamos também utilizar este tipo de recipiente.

 
A terra foi retirada de um local de um espaço verde da nossa escola. A presença de minhocas não deixa dúvidas sobre a sua fertiliadade.


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Nunca desistir de um carvalhito

A rega é fundamental para a germinação das bolotas e para o crescimento dos pequenos carvalhos.
Ocasionalmente, alguns carvalhitos secam. Após tantos meses a vê-los crescer, não é com agrado que os vemos secar.
Nesta situação, desistir é a última coisa a fazer. Se continuarmos a regar estes carvalhos, tal como fazemos com os saudáveis, muito frequentemente somos surpreendidos com a sua regeneração.
Deixamos aqui algumas imagens de exemplares de carvalhitos do nosso bolotário que deram novamente sinais de vida devido à rega persistente, mesmo após terem, aparentemente, morrido.

 Regeneração de um carvalho-negral. As novas folhas apresentam os mesmos tons avermelhados que se observam na primavera, apesar de já estarmos no outono.

 No centro desta imagem observa-se uma gema que irá originar as folhas de regeneração. O aspeto do pequeno carvalho-negral é desolador, mas a gema revela que ainda há muita vida nesta planta.

Ficámos um pouco desiludidos quando o único espécime de carvalho-de-monchique do nosso bolotário secou... mas não desistimos! E o resultado está à vista, um novo rebento!